Notícias Renault Trucks
rss


 

13.04.2015

LA POSTE TESTA UM MAXITY COM PILHA DE COMBUSTÍVEL A HIDROGÉNIO

La Poste e Renault Trucks comprometem-se com o ambiente

A Renault Trucks e a La Poste continuam empenhadas no seu compromisso com o desenvolvimento sustentável e vão colocar em circulação, a título experimental e pela primeira vez na Europa, um camião elétrico com um extensor de autonomia a hidrogénio. Este Maxity Elétrico de 4,5 toneladas verá assim a sua autonomia alcançar os 200 quilómetros e será testado em condições reais de utilização, durante um ano, em Dole (Jura).

Em parceria com a La Poste, a Renault Trucks vai testar pela primeira vez na Europa um Maxity Elétrico que integra uma pilha de combustível a hidrogénio desenvolvida pela Symbio FCell e que permite duplicar a autonomia do veículo. Este teste, com a duração de um ano, permitirá à Renault Trucks explorar todas as potencialidades da tecnologia de hidrogénio em condições reais de utilização. "Este veículo não emite poluição sonora, expelindo apenas vapor de água; a sua autonomia de 200 quilómetros faz dele um veículo ideal para tarefas diárias de distribuição urbanas e periurbanas", explica Karine Forien, Diretora de Estratégia de Eficácia Energética na Renault Trucks, "a nossa vontade através deste projeto é apoiar as metrópoles europeias na limitação das emissões poluentes e sonoras, testando veículos inovadores, que, por um lado, emitam zero emissões e, num futuro próximo, sejam economicamente viáveis para os nossos clientes".

Para a La Poste, que possui atualmente a primeira frota mundial de veículos elétricos, este teste inscreve-se na continuidade de projetos já iniciados para prolongar a autonomia dos seus veículos. Há quase um ano, em Franche-Comté, que a La Poste testa veículos não poluentes a hidrogénio no âmbito da recolha e distribuição do correio e encomendas pelos carteiros. "O hidrogénio aparece hoje como uma solução eficaz para expandir as possibilidades da gama e autonomia dos veículos elétricos. De uma forma mais geral, o desenvolvimento do armazenamento de energia pelo hidrogénio é também um elemento incontornável da transição energética", explica Frédéric Delaval, Diretor Técnico da Área Serviços-Correio-Encomendas.

A Renault Trucks preparou o Maxity Elétrico de 4,5 toneladas para receber uma pilha de combustível, desenvolvida e integrada no veículo em parceria com a empresa Symbio FCell. Desta forma, à autonomia média de cerca de 100 quilómetros do Maxity Elétrico foram adicionados mais 100 quilómetros graças à energia fornecida pela pilha. "Quando o veículo circula, o motor elétrico é alimentado por duas fontes de energia complementares; a pilha de combustível permite fornecer uma potência máxima de 20 kW e, para além deste valor, são as baterias que fornecem o complemento de potência necessário. Quando está parado, a pilha de combustível permite recarregar a bateria, se necessário", refere Christophe Vacquier, Diretor de Projeto. Quanto ao calor libertado pela pilha, é reutilizado para aquecer o habitáculo, o que evita usar a energia das baterias permitindo assim preservar a autonomia. Christophe Vacquier lembra também o princípio de funcionamento da pilha: "A formação de água a partir do oxigénio do ar e do hidrogénio armazenado nos depósitos produz eletricidade e calor, segundo o princípio inverso da eletrólise da água."

Com a assinatura deste contrato, a La Poste e a Renault Trucks unem esforços para fazer emergir um setor de transportes a hidrogénio francês. Tal como para os veículos elétricos, a emergência deste setor passará, necessariamente, pela convergência das indústrias, dos utilizadores e das políticas públicas.

rss